Saltitando com as Palavras, como o próprio significado da palavra SALTITAR — divagar de um para outro assunto — foi idealizado para expressar e partilhar as pequenas coisas boas, e menos boas da vida, tais como: emoções, dificuldades, desafios, conquistas, alegrias, enfim, pulular este espaço com todo o tipo de informação para o bem-estar e lazer.

Novembro Azul: Conscientização, Prevenção e Combate ao Câncer de Próstata

A Conscientização, a Prevenção e o Combate ao Câncer de Próstata representa o tema da  campanha do Novembro Azul realizada por diversas entidades no mês de novembro que foi escolhido para lembrar da importância dos exames de prevenção ao Câncer de Próstata,  já que o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata é comemorado no dia 17 de novembro.

Este é um tipo de câncer que demora a se manifestar e exige exames preventivos de acordo com a orientação do urologista. Vale acrescentar que, mais do que qualquer outro tipo, o câncer de próstata é considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. Mediante diversas ações pelo país, como atividades em estádios, palestras informativas, campanhas de saúde e pontos turísticos, monumentos e locais públicos de grande visibilidade, em todo o País, ganham iluminação especial, em referência ao Novembro Azul que está para os homens, assim como o Outubro Rosa está para as mulheres.

Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SUB), o Câncer de Próstata é ainda mais incidente que o Câncer de Mama das Mulheres, porque a maioria dos homens ainda se mostra bastante resistente quando o assunto é cuidar da saúde e, portanto, convencê-los de que a prevenção é o melhor caminho para viver mais e melhor é um desafio que atravessa gerações.

Vale citar que uma pesquisa realizada no mês de maio de 2013 pela SBU com 5 mil homens revelou que 47% deles nunca fizeram o exame de toque retal, fundamental para detectar o câncer de próstata. Ao tomarem essa atitude, eles engrossam o número de possíveis acometidos pela doença, que atinge todos os anos no Brasil cerca de 60 mil homens, levando a óbito mais de 10 mil.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), a detecção da doença em estágios iniciais aumenta em 90% as chances de cura. A recomendação do Ministério da Saúde é de que os exames preventivos de toque e PSA sejam realizados anualmente por todos os homens a partir dos 50 anos, exceto em casos de fatores de risco, que são: obesidade, histórico familiar da doença e etnia negra, nestes casos,  a prevenção deve ser iniciada aos 45 anos. 

- Origem
O movimento surgiu na Austrália, em 2003, denominado Movember, cujo nome tem origem na junção das palavras inglesa, moustache (bigode, em português) e november (novembro, em português), cujo objetivo é sensibilizar e conscientizar o público masculino em relação aos cuidados preventivos e à importância da realização dos exames periódicos relacionados ao câncer de próstata, tornando-se oficial o dia 17 de novembro como o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata.

Vários países adotaram a campanha e o Novembro Azul , em muitos deles, representa mais do que uma simples campanha de conscientização. Há reuniões entre os homens com o cultivo de bigodes — ao estilo Mario Bros—, símbolo da campanha, onde são debatidos, além do câncer de próstata, outras doenças como o câncer nos bagos, depressão masculina e o cultivo da saúde do homem, entre outros.

No Brasil, a campanha ganhou destaque em 2002, tornando-se referência na missão de orientar os homens a cuidarem melhor da saúde. O Novembro Azul foi criado no Brasil pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, que busca promover uma mudança de paradigmas em relação à ida do homem ao urologista e à realização do exame de toque.

Em 2014, o Instituto realizou 2.200 ações em todo o Brasil, com a iluminação de pontos turísticos, como: Cristo Redentor, Congresso Nacional, Teatro Amazonas, Monumento às Bandeiras,  também logrou a adesão de celebridades, entre outras, Zico, Emerson Fittipaldi e Rubens Barrichello, ativações em estádios de futebol, corridas de rua e autódromos, além de palestras informativas, intervenções em eventos populares e pedágios nas estradas.

- O que é Próstata?
A próstata é uma glândula auxiliar do sistema genital masculino, localizada na frente do reto e embaixo da bexiga urinária. O tamanho da próstata varia com a idade. Em homens mais jovens, tem aproximadamente o tamanho de uma noz, mas pode ser muito maior em homens mais velhos.

A função da próstata é produzir o fluído que protege e nutre os espermatozoides
Este é um tipo de câncer que demora a se manifestar e exige exames preventivos de acordo com a orientação do urologista. Vale acrescentar que, mais do que qualquer outro tipo, o câncer de próstata é considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos.
no sêmen, tornando-o mais líquido. Logo atrás da próstata, estão as glândulas denominadas vesículas seminais, que produzem a maior parte do fluido para o sêmen. A uretra, que transporta a urina e o sêmen para fora do corpo através do pênis, atravessa o centro da próstata.

A próstata começa a se desenvolver antes do nascimento, aumentando pouco durante a puberdade, estimulada pelos hormônios masculinos, denominados andrógenos no corpo. O principal andrógeno é a testosterona, que é produzida nos testículos. A enzima 5-alfa reductase converte a testosterona em diidrotestosterona (DHT). A DHT é o principal hormônio que sinaliza a próstata a crescer.

A próstata cresce lentamente ou permanece aproximadamente do mesmo tamanho em adultos, enquanto existirem hormônios masculinos.

A próstata é uma glândula que só o homem possui e que se localiza na parte baixa do abdômen. Ela é um órgão muito pequeno, tem a forma de maçã e se situa logo abaixo da bexiga e à frente do reto. A próstata envolve a porção inicial da uretra, tubo pelo qual a urina armazenada na bexiga é eliminada. A próstata produz parte do sêmen, líquido espesso que contém os espermatozóides, liberado durante o ato sexual.

- O Câncer de Próstata 
Também denominado Carcinoma da Próstata, , é uma neoplasia que tem seu desenvolvimento na próstata, uma glândula do sistema reprodutor masculino. Localizada logo abaixo da bexiga, tem a forma de uma noz e envolve a parte inicial da uretra. A função da próstata é fabricar o líquido que é eliminado junto com o espermatozóide, durante o ato sexual. Esse líquido é muito importante para manter a vitalidade dos espermatozóides na hora da fecundação.

A maioria dos cânceres de próstata é de crescimento lento, no entanto, alguns crescem relativamente rápido. As células cancerosas podem espalhar-se a partir da próstata para outras partes do corpo, particularmente os ossos e os linfonodos.

As taxas de incidência deste tipo de carcinoma variam amplamente no mundo: o câncer é menos comum no sul e leste da Ásia e mais comum na Europa e nos Estados Unidos que representa a segunda maior causa de mortes masculinas por câncer, atrás somente do câncer de pulmão. O câncer é menos comum entre homens asiáticos e mais comum entre homens negros.

No Brasil, o Câncer de Próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma). Em valores absolutos, é o sexto tipo mais comum no mundo e o mais prevalente em homens, representando cerca de 10% do total de cânceres. Sua taxa de incidência é cerca de seis vezes maior nos países desenvolvidos em comparação aos países em desenvolvimento.

Mais do que qualquer outro tipo, é considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. O aumento observado nas taxas de incidência no Brasil pode ser parcialmente justificado pela evolução dos métodos diagnósticos (exames), pela melhoria na qualidade dos sistemas de informação do país e pelo aumento na expectativa de vida.

Este é um tipo de câncer que demora a se manifestar e exige exames preventivos de acordo com a orientação do urologista. Vale acrescentar que, mais do que qualquer outro tipo, o câncer de próstata é considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos.
Alguns desses tumores podem crescer de forma rápida, espalhando-se para outros órgãos e podendo levar à morte. A grande maioria, porém, cresce de forma tão lenta (leva cerca de 15 anos para atingir 1 cm³ ) que não chega a dar sinais durante a vida e nem a ameaçar a saúde do homem.

Muitos fatores, como a genética e estilo de vida  têm sido relacionados ao desenvolvimento do câncer de próstata,  bem como uma alimentação inadequada à base de gordura animal e pobre em frutas, legumes, verduras e grãos também podem interferir no surgimento da doença.

Este é um tipo de câncer que demora a se manifestar e exige exames preventivos de acordo com a orientação do urologista. Vale acrescentar que, mais do que qualquer outro tipo, o câncer de próstata é considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos.

- Prevenção
Ainda não existe uma vacina ou uma medicação que previna o Câncer de Próstata, porém pesquisas mostram que alguns hábitos alimentares saudáveis podem ajudar a prevenir esta doença, bem como outras doenças. Para tal, é recomendada a ingestão de pouca gordura animal, grande quantidade de vegetais (verduras, legumes e frutas), além do consumo de chá verde, das vitaminas A e D, de selênio (presente na castanha do Pará), e de tomate — fonte de licopeno.

Vale citar que essa alimentação apenas previne,  mas não evitam completamente o Câncer de Próstata. Na verdade, o que pode possibilitar a cura, em cerca de 90%, é a detecção dessa neoplasia precocemente, através dos exames preventivos que são realizados uma vez por ano, conforme a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU)  que recomenda após os 45 anos de idade, sendo antecipado para 40 anos caso o homem tenha um familiar com câncer de próstata.

Para a detecção do câncer de próstata, o urologista além de solicitar o exame
toque retal, que é rápido e indolor, para avaliar o volume, consistência, presença de irregularidades, limites, sensibilidade e mobilidade da próstata, também pedirá o PSA (sigla em inglês para antígeno prostático específico) que funciona como um complemento ao toque retal pode diagnosticar qualquer tipo de alteração.

Os dois exames bastam para diagnosticar o câncer, que deve ser confirmado por biópsia prostática, por meio de ultra-som trans retal. O médico ainda pode recorrer a outros métodos que complementam o diagnóstico, como: Exame de urina; exame de sangue para verificar  o comprometimento da função renal e  ultra-sonografia que avalia a forma e densidade da próstata.
É importante ainda lembrar que o Câncer de Próstata é assintomático em sua fases inicial, portanto,  a pessoa não sente nenhum sintoma e sentirá dor ou dificuldade de urinar quando a doença já estiver avançada. A idade é um fator de risco importante para o Câncer de Próstata, uma vez que tanto a incidência como a mortalidade aumentam significativamente após os 50 anos.

Pai ou irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos pode aumentar o risco da doença de 3 a 10 vezes comparado à população em geral, podendo refletir tanto fatores genéticos (hereditários) quanto hábitos alimentares ou estilo de vida de risco de algumas famílias.

- Sintomas 
Em sua fase inicial, o Câncer da Próstata pode não exibir sintomas, mas em estágios mais avançados pode causar dificuldade para urinar, presença de sangue na urina ou dor na pelve, costas ou ao urinar. Muitos pacientes não apresentam nenhum sintoma ou, quando apresentam, são semelhantes aos do crescimento benigno da próstata (dificuldade de urinar, necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou a noite). Na fase avançada, pode provocar dor óssea, sintomas urinários ou, quando mais grave, infecção generalizada ou insuficiência renal.

Este é um tipo de câncer que demora a se manifestar e exige exames preventivos de acordo com a orientação do urologista. Vale acrescentar que, mais do que qualquer outro tipo, o câncer de próstata é considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos.
Os sinais clínicos são muito semelhantes aos da hiperplasia (aumento de tamanho) benigna da próstata. Outros sintomas tardios podem incluir sensação de cansaço devido aos baixos níveis de células vermelhas no sangue e disfunção erétil.


- Tratamento
A forma de tratamento adequada depende da idade do paciente, da expectativa média de vida, do estágio da doença (se localizada ou avançada) e principalmente da escolha do paciente frente às opções possíveis.

Com o tempo, a próstata de todo homem crescerá (hiperplasia prostática benigna) e pode obstruir parcialmente a uretra, causando dificuldade no esvaziamento da bexiga. Os pacientes com sintomas leves devem realizar acompanhamento anual com um urologista. Já os que apresentam sintomas moderados, iniciam o tratamento com medicamentos. Quando o paciente apresenta um estágio mais avançado, e não responsivo ao tratamento medicamentoso, a cirurgia é indicada.
Conforme o tumor cresce, há dificuldade de urinar; o jato de urina fica mais fraco; aumenta a frequência das micções, especialmente à noite; há dor ou ardência no ato de urinar ou na ejaculação; e um pouco de sangue pode aparecer na urina ou no sêmen.

A idade e saúde do homem, assim como a extensão da dispersão das células, aparência sob análise microscópica e resposta do câncer ao tratamento inicial são importantes em determinar o desfecho da doença, porém o tratamento adequado deve ser individualizado para cada paciente, levando-se em conta o estágio do tumor e outros fatores clínicos, principalmente da escolha do paciente ou da família frente às opções possíveis.

Para doença localizada, cirurgia, radioterapia e até mesmo observação vigilante (em algumas situações especiais) podem ser oferecidos. Para doença localmente avançada, radioterapia ou cirurgia em combinação com tratamento hormonal têm sido utilizados. Para doença metastática (quando o tumor original já se espalhou para outras partes do corpo), o tratamento de eleição é a terapia hormonal.

Para pacientes mais idosos e tumores menos agressivos, pode-se também acompanhar o paciente rigorosamente e tratar apenas se o tumor mostrar sinais de alteração em sua agressividade. A decisão da melhor forma de tratamento deve ser tomada em conjunto entre o médico, o paciente e a sua família, sempre levando em conta os riscos e os benefícios.

Em uma fase mais avançada, o Câncer de Próstata pode causar dores nos ossos, infecções generalizadas e até insuficiência renal e, em alguns casos, a remoção total da próstata torna-se necessária.

Entre 20% a 50% dos homens perdem a capacidade de obter uma ereção
Este é um tipo de câncer que demora a se manifestar e exige exames preventivos de acordo com a orientação do urologista. Vale acrescentar que, mais do que qualquer outro tipo, o câncer de próstata é considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos.
dentro de um a dois anos após o tratamento (impotência geralmente não começa logo após o tratamento). Acredita-se que, ao longo do tempo, a radiação tem um preço gradual sobre os nervos e vasos sanguíneos que controlam a ereção. Esse é um dos motivos pelos quais a prevenção é tão importante.

Assim, o que não pode ser ignorado, além de uma alimentação saudável  é o preconceito e a falta de conscientização sobre a importância da realização regular dos exames de prevenção — maior razão para o diagnóstico da doença em estágio avançado — contra o câncer de próstata,  independente do mês e do ano, pois segundo especialistas, a mortalidade está intimamente ligada ao diagnóstico tardio, já que o câncer de próstata cresce lentamente, portanto, quando detectado precocemente, há grandes chances de cura.


- O que pensa a Organização Mundial da Saúde (OMS)

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Detecção Precoce de um Câncer compreende duas diferentes estratégias: uma destinada ao diagnóstico em pessoas que apresentam sinais iniciais da doença (diagnóstico precoce) e outra voltada para pessoas sem nenhum sintoma e aparentemente saudáveis (rastreamento).

A decisão do uso do rastreamento do Câncer de Próstata por meio da realização de exames de rotina (geralmente toque retal e dosagem de PSA) em homens sem sinais e sintomas sugestivos de câncer de próstata, como estratégia de saúde pública, deve se basear em evidências científicas de qualidade sobre possíveis benefícios e danos associados a essa intervenção.

Por existirem evidências científicas de boa qualidade de que o rastreamento do câncer de próstata produz mais dano do que benefício, o Instituto Nacional de Câncer mantém a recomendação de que não se organizem programas de rastreamento para o Câncer da Próstata e que homens que demandam espontaneamente a realização de exames de rastreamento sejam informados por seus médicos sobre os riscos e provável ausência de benefícios associados a esta prática.

Leia mais sobre este tema: 

- Fonte:

- Leia também:

- Tags:
Câncer de próstata, homem, novembro azul, PSA, Exame de toque, prevenção e conscientização.



Novembro Azul: Concientização, Prevenção e Combate ao Câncer de Próstata - Blog Saltitando com as Palavras