Saltitando com as Palavras, como o próprio significado da palavra SALTITAR — divagar de um para outro assunto — foi idealizado para expressar e partilhar as pequenas coisas boas, e menos boas da vida, tais como: emoções, dificuldades, desafios, conquistas, alegrias, enfim, pulular este espaço com todo o tipo de informação para o bem-estar e lazer.

Saudade — Sentimento tão Delicado e Intenso, tão Melancólico e Dolorido, tão Passado e Presente

Em 30 de Janeiro comemora-se O Dia da Saudade. Saudade, sentimento melancólico ligado pela memória a situações de privação da presença de alguém ou de algo, de afastamento de um lugar ou de uma coisa, ou à ausência de certas experiências e determinados prazeres já vividos. Não tem cor, mas pode ter cheiro; não pode ser vista nem tocada; mas é de uma intensidade indescritível.

Temos saudades de pessoas, de momentos, de situações, de lugares ... Assim, poder-se-ia dizer que saudade é a memória de tudo o que realizamos, tivemos ou sentimos, guardado no mais profundo da nossa alma e, muito embora, não faça mais parte de nosso dia-a-dia, alimentamos o desejo de tornar a rever e reviver — É a dor de quem encontrou e nunca mais encontrará, de quem sentiu e nunca mais voltará a sentir.

No dia da saudade, normalmente, as pessoas se dedicam às lembranças de seus entes queridos que estão ausentes, de fatos que viveram ou de lugares e obejtos que marcaram suas vidas, o que faz com que a palavra saudade se torne melancólica , trazendo na maioria das vezes dor e sofrimento.

Todos nós, crianças ou adultos, em muitas fases de nossa vida vamos viver essas emoçoes que tanto poderão nos fazer sorrir ou chorar e, em qualquer uma delas, não haverá uma possibilidade de passar “em branco” — é um bem/mal necessário para todo o ser humano.


A saudade traz-nos recordações dos bons momentos da nossa meninice, dos difíceis anos de escola, das travessuras e irreverência aos nossos pais, professores, tios, avós, da camaragem de nosso colegas ou amigos, do 1º flerte, do 1º baile, do 1º beijo, enfim de toda as emoções que foram vividas no passado e continuam armazenadas em nosso coração e, ela, a saudade, as avivará ao longo de nossa vida.

Isto é notado quando viajamos e depois retornamos, a sensação em relação aos novos lugares que conhecemos ou, ao contrário, quando viajamos e sentimos saudades de nossa terra, nossa casa, nossa cama, nosso travesseiro, nosso cobertor, nossa comidinha ou, simplesmente, o pôr do sol visto de nossa janela ou enquanto voltamos para casa de nosso trabalho.

Saudade é uma só palavra, em diferentes palavras. Saudade esse sentimento tão expressado em música, poemas, cantos pela literatura universal é quem arquiteta a estrofe e conduz o tom.
.
Não importa o gênero literário ou o estilo musical, não importa o autor, a época ou a situação. A intensidade dos sentimentos e a concentração da saudade na Literatura e na Música é um tema crônico que comove a todos e nos faz viver a saudade nem que seja apenas por um instante e, ao longo da vida, perceberemos como a palavra saudade está inserida em tudo o que lemos, vemos, ouvimos e sentimos.

Costuma-se dizer que ninguém quer sentir saudade da tragédia , entretanto, é notório que todo o encontro traz em si a possibilidade da separação. E aí vem a pergunta: Quem de nós não viveu ou se deparou com o sentimento de tristeza, de perda ou de dor provocado pela separação?

A saudade do Brasil fez com que Gonçalves Dias escrevesse, há mais de um século, “Canção do Exílio”.

"Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá
As aves, que aqui gorjeiam
Não gorjeiam como lá
Nosso céu tem mais estrelas
Nossas várzeas têm mais flores
Nossos bosques têm mais vida
Nossa vida mais amores....”


Mário Quintana escreveu:”
.
"...Na solidão na penumbra do amanhecer
Via você na noite nas estrelas, nos planetas, nos mares
no brilho do sol e no anoitecer
Via você no ontem , no hoje, no amanhã
Mas não via você no momento
Que saudade...”


Casimiro de Abreu versificou sua saudade da infância:
.
"...Oh! que saudades que eu tenho
Da aurora da minha vida
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!".


Miguel Falabella, autor, diretor, ator e produtor escreve:
.
"...Saudade é não saber mesmo!
Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos;
Não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento;
Não saber como frear as lágrimas diante de uma música;
Não sabe
r como vencer a dor de um silêncio que nada preenche..."


Luiz Vaz de Camões, poeta português, em sua obra memorável “ Os Lusíadas”, não só narra as aventuras e os eventos históricos, como também canta a saudade marcada pelo sentimento de saudade dos tempos gloriosos de Portugal.

“...E também as memórias gloriosas

A Fé, o Império, e as terras viciosas

De África e de Ásia andaram devastando

Se vão da lei da morte libertando

Cantando espalharei por toda parte ...”


A poetisa portuguesa, Florbela Espanca, também registrou sua saudade:
.
"...E a esta hora tudo em mim revive
Saudades de saudades que não tenho...
Sonhos que são os sonhos dos que eu tive..."


Renato Russo cantou:
.
... Saudade é uma palavra
Eu hoje estou com saudade
Na noite quente e no calor
Saudade de nadar no mar
Saudade da primeira namorada
Saudade, meus amigos ... "


Charles Chaplin diz:
.
“...Sorrri quando a dor te torturar
e a saudade atormentar
os teu dias tristonhos, vazios...
Sorri quando tudo terminar
Quando nada mais restar...”



Nelson Gonçalves interpretando “Naquela mesa” composta por Sergio Bittencourt , define bem o que é saudade:
." ...Naquela mesa ele sentava sempre
E me dizia sempre o que é viver melhor
Naquela mesa ele contava histórias
Que hoje na memória eu guardo e sei de cor
... Eu não sabia que doía tanto
... Essa dor tão doída, não doía assim
Naquela mesa ta faltando ele
E a saudade dele ta doendo em mim..."


Vinícius de Moraes e Tom Jobin cantaram a saudade dizendo:
.
"...Vai minha tristeza,
e diz a ela que sem ela não pode ser,
...Que ela regresse, porque eu não posso mais sofrer.
Chega, de saudade a realidade,
É que sem ela não há paz,
não há beleza, é só tristeza e a melancolia ..."

Raul Seixas também manifestou seu sentimento sobre a saudade:
." ...hoje é feriado,
é o dia da saudade,
hoje não tem aula para a garotada...,
só na saudade..."


Roberto Carlos, em Ternura antiga, musica de J. Ribamar e Dolores Duran, faz voce cantar e chorar:
.
"...Ai, a rua escura o vento frio
Esta saudade este vazio
Esta vontade de chorar
Ai tua distância tão amiga
Esta ternura tão antiga
E o desencanto de esperar ...."


Cartola em “ O Sol nascerá” diz:
....A sorrir
Eu pretendo levar a vida,
Pois chorando
Eu vi a mocidade perdida.
Finda a tempestade
O sol nascerá,
Finda esta saudade
Hei de ter outro alguém para amar..."


Meu Primeiro Amor, composto por Herminio Gimenez e interpretado por Maria Bethânia também enfoca a saudade:

“... Saudade palavra triste quando se perde um grande amor
Na estrada longa da vida eu vou chorando a minha dor
Igual uma borboleta vagando triste por sob a flor ...”


E, é claro, não poderíamos deixar de citar O Fado que representa um dos exemplos da influência da saudade no mundo da música, cantado pela inesquecível Amália Rodrigues:
.
" ...Eu só entendo o fado
pela gente amargurada à noite a soluçar baixinho
que chega ao coração num tom magoado
que chora uma saudade ou canta ansiedade
de quem tem por amor chorado..."

Assim, os homens criativos têm encontrado na saudade do passado — individual ou coletivo — os estímulos necessários para as inovações do que precisam hoje e para o amanhã, o que nos leva a dizer que a saudade do passado aliada à fé de hoje e do futuro, podem se completar e erguer ou reerguer os valores de um indivíduo e, até mesmo de um povo ou uma nação.

Diante de tantas definições de saudade, o que todos nós queremos é voltar a rever e reviver as emoções que nos trazem a saudade e, não arrependimento ao recordar no futuro o que vimos ou vivemos hoje.
.
Porém, saudade é saudade e, portanto, é um registro fiel do passado e, como tal, é a prova incontestável de tudo que vivemos e ficou impresso na alma.
.
Assim, ao assumirmos que sentimos saudade, estamos nos vangloriando de que somos capazes de viver este sentimento tão delicado e intenso, tão melancólico e dolorido, tão passado e presente e, que muitas vezes, realmente dói demais, seja física ou emocionalmente, mas, porém, todavia, contudo estará presente em nossa vida para sempre.

Para finalizarmos, citamos a obra-prima “Pedaço de Mim”, de Chico Buarque que nesta música consegue juntar todo o tipo de dor que a saudade pode nos trazer. Cada parágrafo da música fala de uma dor diferente: da dor da despedida, da dor de um exílio, da dor da perda de um filho, da dor de um amor que se vai.... confira!


Oh, pedaço de mim
Oh, metade afastada de mim
Leva o teu olhar
Que a saudade é o pior tormento
É pior do que o esquecimento
É pior do que se entrevar

Oh, pedaço de mim
Oh, metade exilada de mim
Leva os teus sinais
Que a saudade dói como um barco
Que aos poucos descreve um arco
E evita atracar no cais

Oh, pedaço de mim
Oh, metade arrancada de mim
Leva o vulto teu
Que a saudade é o revés de um parto
A saudade é arrumar o quarto
Do filho que já morreu

Oh, pedaço de mim
Oh, metade amputada de mim
Leva o que há de ti
Que a saudade dói latejada
É assim como uma fisgada
No membro que já perdi

Oh, pedaço de mim
Oh, metade adorada de mim
Leva os olhos meus
Que a saudade é o pior castigo
E eu não quero levar comigo
A mortalha do amor
Adeus

Saudade — Sentimento tão delicado e intenso, tão melancólico e dolorido, tão passado e presente!

Leia também:
.