Saltitando com as Palavras, como o próprio significado da palavra SALTITAR — divagar de um para outro assunto — foi idealizado para expressar e partilhar as pequenas coisas boas, e menos boas da vida, tais como: emoções, dificuldades, desafios, conquistas, alegrias, enfim, pulular este espaço com todo o tipo de informação para o bem-estar e lazer.

Água: O Bem Natural mais Valioso do Planeta Terra!

O Dia Mundial da Água é comemorado em 22 de Março cujo objetivo principal é conscientizar a população mundial sobre o significado da água para a vida de todas as espécies no planeta Terra. É uma data proclamada pela ONU, para  chamar a atenção sobre a importância do abastecimento de água e saneamento básico em todo o mundo, bem como a defesa e a gestão sustentável dos recursos de água doce.

Segundo relatório Mundial das Nações Unidas, 748 milhões de pessoas em todo o mundo ainda não têm acesso a água potável e, por outro lado, a água nunca foi tão consumida. A agricultura, setor que mais consome água, deverá produzir 60% mais alimentos do que hoje, até 2050. O estudo destaca ainda que a estimativa da demanda mundial de água pela indústria tenha um aumento de 400%, até 2050 . O estudo chama a atenção para o grande volume de água usado para geração de energia (usinas térmicas) e destaca a necessidade de estímulos a fontes renováveis, como subsídios para as fontes eólica e solar.
A primeira proposta para a criação do Dia Mundial da Água foi feita em 1992 durante a Conferência das Nações Unidas sobre ambiente e desenvolvimento (UNCED). Através da Resolução 47/193 de 22 de Dezembro de 1992, a Assembleia Geral das Nações Unidas declarou 22 de  Março como o Dia Mundial da Água,  iniciando a comemoração em 1993.

Vale lembrar que no ano de 1992, a ONU também divulgou a “Declaração Universal dos Direitos da Água”, cujo texto apresenta uma série de medidas, sugestões e informações que servem para despertar a consciência ecológica da população e dos governantes para a questão da água.

Cada ano, o Dia Mundial da Água destaca um aspecto específico, sendo que para este ano, 2015, o tema é "Água e Desenvolvimento Sustentável”, cuja proposta tem como objetivo fixar metas sobre temas como governança e qualidade da água, gestão de águas residuais e prevenção de desastres naturais.

A conclusão do relatório Mundial das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento de Recursos Hídricos - Água para um mundo sustentável, apresentado em Nova Délhi, na Índia, pela Unesco, é que a população mundial, até 2030,  deverá enfrentar um déficit de 40% no abastecimento de água, caso não sejam tomadas medidas drásticas para melhorar a gestão do recurso natural.

É fato conhecido que os povos antigos já tinham conhecimento da importância da água para sobrevivência da espécie e, deste modo, procuravam rios,  onde pudessem fazer suas habitações, assim, a sociedade começou a se organizar ao redor das águas, pois sabiam que naquele local teriam terras mais férteis e água potável, tanto que o acesso à água potável foi essencial na formação das primeiras aldeias e, consequentemente, nas primeiras cidades.

O crescimento populacional nos últimos 50 anos  e a necessidade de abastecer as pessoas com água, incluindo a agricultura, ajudaram  a secar a fonte que tornava a vida possível, transformando a falta d’água num perigo mundial.

O fato é que o consumo mundial de água subiu cerca de seis vezes que associado à má gestão desse recurso, reduziu os estoques aproveitáveis, mas mesmo assim o homem ainda reluta em adotar medidas que garantam a preservação da água, o que faz com que a preocupação individual passasse para cidades, nações e hoje se tornasse um tema global, a tal ponto, que segundo especialistas, dentre todas as moedas, a água é quem vai determinar a paz ou a guerra entre as nações no nosso século.

Segundo relatório Mundial das Nações Unidas, 748 milhões de pessoas em todo o mundo ainda não têm acesso a água potável e, por outro lado, a água nunca foi tão consumida. A agricultura, setor que mais consome água, deverá produzir 60% mais alimentos do que hoje, até 2050. O estudo destaca ainda que a estimativa da demanda mundial de água pela indústria tenha um aumento de 400%, até 2050 . O estudo chama a atenção para o grande volume de água usado para geração de energia (usinas térmicas) e destaca a necessidade de estímulos a fontes renováveis, como subsídios para as fontes eólica e solar.

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), há sete bilhões de pessoas para alimentar no planeta. Muito dos alimentos que consumimos exige uma demanda elevada de água para sua produção. Na produção de um quilo de carne, por exemplo, são utilizadas em torno de 15000 litros de água, o que nos leva a dizer que ao aumentar a produção de alimentos, automaticamente, aumenta a exploração dos recursos hídricos e consequentemente a exploração dos ecossistemas.

Pelos cálculos da ONU, cada pessoa necessita de 5 litros diários de água para sobreviver em um clima moderado, e no mínimo 50 litros por dia para beber, cozinhar, banhar-se e usar em higiene. O consumo doméstico representa 10% do volume da água usada pelo homem. A indústria utiliza o dobro disso, e a agricultura, sete vezes mais, sem contar o desperdício com vazamentos que atinge até 50% da água.

Conscientes dos efeitos negativos do consumo excessivo de água sobre a natureza, alguns países já estabeleceram leis que garantem “fluxos ambientais mínimos”, porém há muitos outros obstáculos a superar.

O Dia Mundial da Água é comemorado em 22 de Março cujo objetivo principal é conscientizar a população mundial sobre o significado da água para a vida de todas as espécies no planeta Terra. É uma data proclamada pela ONU, para  chamar a atenção sobre a importância do abastecimento de água e saneamento básico em todo o mundo, bem como a defesa e a gestão sustentável dos recursos de água doce.O Brasil, considerado um dos países com maior disponibilidade de recursos hídricos do mundo, representa cerca de 3% da população mundial, o que aparentemente representaria uma posição privilegiada em comparação a outros países, entretanto, a distribuição é totalmente desigual em todo o território nacional.

A Amazônia, por exemplo, é uma região que detém a maior bacia fluvial do mundo. O volume d'água do rio Amazonas é o maior do globo, sendo considerado um rio essencial para o planeta. Essa é, também, uma das regiões menos habitadas do Brasil.

Em contrapartida, as maiores concentrações populacionais do país encontram-se nas capitais, distantes dos grandes rios brasileiros, como o Amazonas, o São Francisco e o Paraná. E há ainda o Nordeste, onde a falta d'água por longos períodos tem contribuído para o abandono das terras e para a migração aos centros urbanos, como São Paulo e Rio de Janeiro, agravando ainda mais o problema da escassez de água nessas cidades.

Mas, já que existe tanta água no planeta, por que a água potável é um recurso limitado?

A água é composta por dois elementos químicos: Hidrogênio e Oxigênio, representados pela fórmula h2O. Como substância, a água pura é incolor, não tem sabor nem cheiro. Ocupa 70% da superfície da Terra, onde a maior parte, 97% é salgada e, apenas 3% do total é água doce e, desses, 0,01% vai para os rios, ficando disponível para uso. O restante está em geleiras, icebergs e em subsolos muito profundos. Ou seja, o que pode ser potencialmente consumido é uma pequena fração.

Pode-se dizer que a quantidade total de água existente na Terra, nas suas três fases, sólida, líquida e gasosa, tem-se mantido constante, desde o aparecimento do Homem. Acredita-se que a quantidade atual de água seja praticamente a mesma de há 3 bilhões de anos. Isto porque o ciclo da água se sucede infinitamente.

A água desenvolve um ciclo que é o caminho que ela percorre. A chuva, basicamente, é o resultado da água que evapora dos lagos, rios e oceanos, formando as nuvens. Quando as nuvens estão carregadas, soltam a água na terra. Ela penetra o solo e vai alimentar as nascentes dos rios e os reservatórios subterrâneos. Se cai nos oceanos, mistura-se às águas salgadas e volta a evaporar, chove e cai na terra.

A água encontra-se ameçada pela poluição, pela contaminação e pelas alterações climáticas que o ser humano vem provocando. Além do perigo que representa para a saúde e bem-estar do homem, a degradação ambiental é apontada pela Organização Mundial de Saúde como uma importante ameaça ao desenvolvimento econômico.


O que fazer? Como usar a água com mais economia?

Na agricultura, por exemplo, o desperdício de água é muito grande. Apenas 40% da água desviada é efetivamente utilizada na irrigação. Os outros 60 por cento são desperdiçados, porque se aplica água em excesso, se aplica fora do período de necessidade da planta, em horários de maior evaporação do dia, pelo uso de técnicas de irrigação inadequadas ou, ainda, pela falta de manutenção nesses sistemas de irrigação.

Na indústria é possível desenvolver formas mais econômicas de utilização da água através da recirculação ou reuso, que significa usar a água mais do que uma vez. Por exemplo, na refrigeração de equipamentos, na limpeza das instalações etc. Essa água reciclada pode ser usada na produção primária de metal, nos curtumes, nas indústrias têxteis, químicas e de papel.

Nos sistemas de abastecimento de água uma quantidade significativa da água tratada - 15 % ou mais - é perdida devido a vazamentos nas canalizações, assim como dentro de nossas casas.

É fácil observar como a população colabora na conservação da água em cidades que têm problemas de abastecimento ou onde existe pouca água. Ou, ainda, onde a água é cara. Nessas cidades, as pessoas costumam usar a mesma água para diferentes finalidades. Como, por exemplo, a água usada para lavar roupa é depois usada para lavar quintal.

A água desenvolve um ciclo que é o caminho que ela percorre. A chuva, basicamente, é o resultado da água que evapora dos lagos, rios e oceanos, formando as nuvens. Quando as nuvens estão carregadas, soltam a água na terra. Ela penetra o solo e vai alimentar as nascentes dos rios e os reservatórios subterrâneos. Se cai nos oceanos, mistura-se às águas salgadas e volta a evaporar, chove e cai na terra.
Outras pessoas procuram mudar seus hábitos para usar a água na hora em que ela está disponível; evitam vazamentos; só regam jardins e plantas na parte da manhã ou no final da tarde; não lavam calçadas, apenas varrem; não instalam válvulas de descarga nos vasos sanitários e sim caixas de descarga, que são mais econômicas e produzem o mesmo resultado e conforto e só lavam seus carros eventualmente.

A necessidade crucial de conseguir água já está no centro de importantes conflitos sociais pelo mundo  e, segundo estudiosos no assunto, se os governadores não se unirem para encontrar soluções e continuarem a ignorar a crise da água em todo o planeta, ela será realmente um fator preponderante num conflito global, tanto, que é só observar a distribuição de água no planeta para perceber que a disputa pela água tende a seguir os mesmos passos da disputa pelo petróleo do século XX.

Todos nós, sem exceção, sabemos que somos, em parte, responsáveis pela mudança no ciclo de água fresca, que torna possível a vida no planeta Terra, portanto, a conscientização, a educação e uma nova forma de pensar e agir é fundamental diante do crescente agravamento da falta de água no mundo. Racionalizar o uso da água não siginifica ficar sem ela, significa usá-la sem desperdício, significa considerá-la como: Um bem natural, valioso e fundamental em nossa civilização —  um direito a ser preservado e partilhado sem discriminações ou exclusões.


Fontes referenciais de pesquisa:
http://www.unwater.org
• http://www.wereld-water-dag.nl/
http://aquaforall.org
• http://www.historialivre.com
http://www.unicef.org
• http://entretenimento.uol.com.br
• http://revistaplaneta.terra.com.br
• http://www.pegadahidrica.org


Tags:
Água, water, água doce, água do mar, água subterrânea, geleiras, rios, Dia Mundial da água, 22 de março, planeta Terra, vida.


Poderá também gostar de: 
• Água com açúcar acalma! Mito ou Verdade?
Água com gás —Mitos e Verdades
.